A Conversão

Conversão e Vida nova

Judá estava sofrendo uma terrível seca e uma grande praga de gafanhotos que deixavam o povo na desgraça. Perante este facto, Joel levanta-se e convida-os a converterem-se a Deus a fim de ser alterada a situação e voltarem a receber as bênçãos do Senhor. Observemos o convite do Senhor ao seu povo no livro de Joel 2.12–19. Deus sempre aborreceu a idolatria e já não apreciava o rasgar das vestes em lamentação (v.13).

O Senhor aprecia mais o coração quebrantado do seu povo do que sacrifícios físicos (Sl 34.18). O salmista expressou-se assim: “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus” (Sl 51.17). Por isso, Deus convida o povo ao arrependimento sincero, com manifestação de quebrantamento e sentimento de pesar acompanhado de mudança de atitude em relação ao pecado. 

Deus convida o povo à conversão sincera desta forma: “Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto. E rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao Senhor vosso Deus; porque ele é misericordioso e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em beneficência” (Jl 2.12,13). Conversão significa voltar em sentido oposto, deixar a idolatria e a desobediência e voltar para Deus obediente (Ez 14.6). Conversão é deixar os maus caminhos e tomar o caminho de Deus (Is 55.7). Conversão é voltar para Deus e fazer a sua vontade (Mt 6.10; 7.21).

As pessoas devem deixar a idolatria e os maus caminhos para fazerem a vontade Deus. Porque o Senhor promete as bênçãos do céu ao povo convertido. Porque Ele fará cair a chuva necessária para tornar os campos férteis (Jl 2.23,24). Porque Ele derramará do seu Espírito sobre todas as pessoas a fim de serem novas criaturas (v. 28). Deus é fiel para cumprir as suas promessas. O salmista exprimiu-se assim: “Para sempre, ó Senhor, a Tua Palavra permanece no céu. A Tua fidelidade estende-se de geração a geração; Tu firmaste a terra e firme permanece” (Sl 119.89,90). Podemos confiar que receberemos o que pedimos se fizermos o que lhe é agradável. 

Por conseguinte, quando as pessoas se convertem a Deus receberão as suas promessas. Ele cumprirá a Sua Palavra se nós também cumprirmos conforme lemos em 2 Crónicas 7.13,14: “Se eu cerrar os céus e não houver chuva, ou se ordenar aos gafanhotos que consumam a terra, ou se enviar a peste entre o meu povo; e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra.” 

Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.