IMAGENS de CULTO

Os Pais da Igreja Pré-Nicenos e o Culto a Imagens e Ícones

Neste primeiro artigo, vamos tratar da evidência patrística pré-nicena sobre o culto às imagens e aos ícones. Vamos demonstrar que houve um consenso patrístico contra o uso de tais elementos como objeto de culto. Apologistas católicos e ortodoxos, totalmente desamparados de qualquer pesquisa histórica, costumam fazer afirmações do tipo:  “A ideia de que a Igreja dos primeiros séculos foi de modo algum preconceituosa contra imagens, ícones, relíquias estátuas é a ficção mais descabida possível.” O artigo apologético católico afirma: “O ensino cristão das imagens e relíquias sagradas, esta presente desde os primeiros escritos cristãos que se tem conhecimento, todos eles confirmam unanimamente como a teologia católica, não inova apenas repete o que é da fé através dos séculos!”. Obviamente esse tipo de afirmação é encontrada apenas em apologistas de internet. Conforme veremos numa seção desse artigo – historiadores católicos romanos e ortodoxos afirmam que os primeiros cristãos tinham sim preconceito contra o culto às imagens. Se a tese católica acima fosse verdadeira, não seria difícil encontrar pais da igreja pré-nicenos apoiando a doutrina romanista. No entanto, quem se der ao trabalho de ler o artigo católico, perceberá que não se encontra qualquer evidência de pai da Igreja pré-niceno apoiando o culto às imagens ou ícones. Neste artigo, tratarei apenas do culto às imagens e aos ícones. Eu já tratei do culto às relíquias e sua falta de base histórica em outro artigo (aqui). Recomendo também os artigos do blog conhecereis a verdade (aqui) e heresias católicas (aqui  e aqui).

Epístola de Barnabé (131?)

A Epístola não foi escrita por Barnabé. Sua autoria é desconhecida e provavelmente a obra é do início do século II:

Moisés as tomou, e começou a descer, para levá-las ao povo. Então disse a Moisés o Senhor: “Moisés, Moisés, apressa-te a descer, pois teu povo, que fizeste sair da terra do Egito, pecou”. Moisés compreendeu que eles ainda tinham feito para si imagens de metal fundido. Então ele atirou de suas mãos as tábuas e as tábuas da Aliança do Senhor se quebraram”. Moisés, portanto, a recebeu, mas eles não foram dignos dela. (Ep. de Barnabé 14)

Esta não é uma condenação explícita. No entanto, a epístola demonstra a condenação aos judeus por criarem imagens. Levando-se em conta o contexto do séc. II, em que abundam escritos cristãos condenando os pagãos por cultuarem imagens, é muito provável que o autor da epístola também condenasse tal culto de forma geral, e não apenas no contexto pagão.

Continua AQUI

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline