A Justificação

balançaJUSTIFICAÇÃO PARA TODOS

Os tribunais estão repletos de processos para os quais os seus autores esperam justiça. E justiça é o acto pelo qual se justifica alguém fundamentado na razão. É o acto que declara justo alguém acusado de injustiça. Mas para chegar a este ponto é necessária a intervenção dum intermediário, o advogado. Do mesmo modo, a justificação dos pecadores contou com um intermediário, o advogado Jesus Cristo. Ele é a propiciação pelos pecados do mundo. 

O pecado atingiu a todas as pessoas sem distinção. Ninguém pode fugir à acusação da lei, que declara pecadores a todas as criaturas (Rm 3.23). A Escritura diz que não há um justo, nem um sequer (Rm 3.10). E, qualquer acto transgressor da lei divina merece condenação divina (Dt 24.16). Visto que todos são pecadores todos merecem condenação (Rm 5.12). Deus não faz acepção de pessoas, não favorece classes sociais nem olha para as aparências. Ele é justo nos seus juízos. 

Porém, assim como o pecado e a condenação vieram por um homem desobediente, também a justificação e o perdão vieram por um homem obediente (Rm 5.12). Jesus, que nunca pecou, tomou o nosso pecado e foi cravá-lo na cruz. O justo morreu pelos injustos, o santo deu a vida pelos pecadores. A morte de Cristo foi o cumprimento da lei por todos (Jo 19.30).

Deus provou o seu grande amor por nós na morte de seu Filho e fomos atingidos pela sua graça. Assim como a condenação atinge a todos sem distinção, também a graça de Deus atinge a todos sem distinção. A graça é o favor que Deus faz de justificar e perdoar a quem merece a condenação (Rm 3.24–26). E, a manifestação desta maravilhosa graça fundamenta-se no grande amor de Deus, que enviou o seu Filho para cumprir o que nos dizia respeito relativamente ao pecado (Tt 2.11).

Agora, a justificação é para todas as pessoas que crerem no valor do sacrifício de Cristo como seu substituto. Este valor só é atribuído àqueles que nele confiam (Rm 4.5). A exigência da fé dirige-se a todas as pessoas sem distinção. Ninguém será justificado pelas obras sem fé no sacrifício do cordeiro de Deus (Gl 2.16). Esta graça só pode ser recebida pela fé no sacrifício substitutivo de Cristo (Ef 2.8,9).

Deus declara justos aqueles que se arrependem e com fé voltam para Ele decididos a obedecer à sua Palavra. Considera-os como se nunca tivessem pecado porque Aquele que nunca pecou tomou o seu lugar na condenação (2 Co 5.21). A partir desse momento “não há mais condenação alguma para os que estão em Cristo Jesus” (Rm. 8.1). Porque Ele não veio para condenar, mas para salvar os condenados (Jo 3.17). Agora, justificados pela fé ficamos em paz com Deus (Rm 5.1) e com direito à vida eterna (Jo 5.11,12).

Portanto, a Bíblia afirma que o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna por nosso Senhor Jesus Cristo. Quem crê nele não é condenado, mas quem não crê já está condenado. Portanto, crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo tu e a tua família.

Both comments and pings are currently closed.

Comments are closed.